quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

O "toma-toma" de Francisco José Viegas


É a notícia do dia: Francisco José Viegas (FJV), Ex-secretário de Estado da Cultura diz que mandará os fiscais da AT "tomar no cú”...

A prosa está no seu blog, num post dirigido a Paulo Núncio, atual secretário de Estado dos Assuntos Fiscais que veio com a estrambólica ideia de multar quem não pedir fatura.

Como nestas coisas costuma haver sempre uma qualquer declaração da parte do Governo, a réplica coube, imagine-se… a Miguel Relvas (MR)!

Creio que a esmagadora maioria das pessoas concordaria (e concordará) se disser que FJV era do melhor que este Governo tinha… E imagino que essa mesma maioria assinaria uma qualquer missiva a dizer o contrário de MR.

FJV é mais conhecido de todos nós pela literatura, que se dedica com afinco, principalmente a poesia. Aparte as suas qualidades literárias, trata-se de um homem culto, com boas ideias para o país. Só que infelizmente ter boas ideias não é sinónimo de qualquer habilitação para a arena política, nem garante um bom exercício do cargo.

MR é conhecido como o ministro Licenciado-Equivalente... É alvo de chacota e a principal fonte de inspiração aos humoristas nacionais! Todos os dias vamos conhecendo um conjunto de equivalências deste político polivalente. As últimas, imagine-se, estão relacionadas com questões de fé e avançam com a elegibilidade para uma eventual candidatura a sumo pontífice!

Só que o “candidato a candidato” (AKA - MR) ao ministério de Pedro é um soldado ferido em combate e estes, por regra, não ajudam na batalha, antes pelo contrário: atrapalham, são um fardo, provocam incómodo e têm de ser carregados pelos restantes.

Daí a pergunta. Mas porque raio tem de ser MR a responder a FJV!?

3 comentários:

Dulce disse...

Na minha modesta opinião, o que podia ser um tiro no pé até não correu mal... O Ministro safou-se bem e não precisou de descer de nível... Se bem que o palavreado de FJV até eu - confesso - subscrevo... é deveras indecente/insensato/incongruente que o consumidor seja sempre o elo mais fraco e que sobre ele recaia tal ónus!!

luis cirilo disse...

por acaso nem estou muito de acordo sobre a mais valia que FJV (não) foi para o governo.
Não lhe conheci nenhuma iniciativa relevante e esta prosa que agora publicou no blogue é absolutamente indigna de um cidadão civilizado quanto mais de um ex governante.
Não lhe retiro méritos como autor ou até como editor de livros(por exemplo de Passos Coelho...)mas como homem de Estado não faz falta nenhuma

Ricardo Cândido disse...

Dulçalves: este ministro está num ponto em que pode reinventar a teoria da relatividade que ninguém o levará a sério. Seja por omissão, ação, manutenção do nível, "whatever"...

Luis Cirilo: essa do editor de Passos Coelho está bem relembrada:)