sábado, 13 de dezembro de 2008

Da faixa preta para a bata branca

De facilitismo na escolas portuguesas já muito falei aqui, aqui e aqui. Sucede que quanto a novas facilidades/oportunidades foi-me recentemente dada a conhecer a notícia da imagem (clicar para aumentar), um preocupante e paradigmático exemplo de como um sistema facilitista pode conduzir um moço que não sabe muito bem o que quer fazer da vida - além de dar uns socos - a um lugar ao sol no curso de Medicina.

É certo que o rapaz se dedica de corpo e alma ao desporto e representou o país nos JO de Pequim. E é certo que entrou no curso ao abrigo de uma quota estipulada por Lei ( Dec-Lei n.º 125/95 de 31 de Maio).

Não se trata tão só de um sentimento de inveja por ter logrado acesso à licenciatura mais cobiçada deste país e por tanto estudante cujo 19 vírgula qualquer coisa só dá para rumar até à vizinha Espanha ou à República Checa... ver um tipo que frequentou as Novas Oportunidades concluir o Secundário em pouco mais de nada e num ápice estar a cursar Medicina. Trata-se de um aluno de Medicina que pode perceber muito de técnicas desportivas mas, ao que consta, não frequentou nem Biologia, nem Química nem Matemática.

Igualmente grave é a 'vocação' do rapaz. De artes marciais a psicólogo, passando por gestão. Tudo a ver. Pelo meio ainda lhe deve ter ocorrido a carreira de engenheiro civil, que o músculo dá bem jeito no mundo das obras e já está habituado ao capacete (a ascensão de azul para o branco seria canja!).

Resta-nos crer que o rapaz se vai aplicar tanto na medidicna quanto no taekwondo. E resta-nos esperar que não se lembre o Governo de aplicar as novas oportunidades ao ensino superior.... Porque se assim for, o que esperamos mesmo é que nunca tenhamos que ir parar às mãos deste Sr. Doutor...!

2 comentários:

Luis Melo disse...

Esta já é antiga... também fiquei um pouco chocado na altura... enfim

Ricardo Cândido disse...

Isto é de doidos...