quarta-feira, 19 de março de 2008

Nem oito, nem oitenta


A infindável novela "Madeleine McCann" conheceu hoje novos episódios. Numa manobra tão inédita quanto duvidosa, os tablóides britânicos fazem capa com um pedido de desculpas aos progenitores (custa-me aqui usar a palavra "pais"...) da criança cujo rasto, volvidos dez meses, ainda é uma incógnita. Acresce que ao pedido de desculpas junta-se um pagamento ao casal no valor de 700 mil euros.

É certo que actualmente muitos são os jornalistas que não medem as palavras e, neste caso em particular, muita tinta correu entre especulações, suposições e opiniões. Palavras desnecessárias, descabidas e infrutíferas ao sabor, resta saber se da insensatez ou do oportunismo.

O jornalistas bem sabem que, até prova em contrário, a Lei garante a presunção da inocência. Com efeito, parece-me que da mesma forma que é condenável terem-se arrogado ao direito de presumir a culpabilidade daqueles dois, igualmente se me afigura reprovável que, numa tentativa de "remediar o erro", venham afirmar categoricamente a sua inocência...

Mas já que estão numa de pedir desculpa, talvez não lhes ficasse nada mal dirigirem pedido idêntico (cheque incluído, sff) às autoridades do nosso país, cuja actuação criticaram sem apelo nem agravo, delas fazendo bode expiatório.
*
Adenda: já se escrevera nestas paragens lodosas sobre o "Caso McCann" - aqui, aqui e ainda aqui.

2 comentários:

luis cirilo disse...

Para além do destino da criança,que é naturalmente o que mais preocupa,tenho muita curiosidade (se calhar nunca satisfeita)em saber se algum dia se saberá toda a verdade.
Para então podermos avaliar responsabilidades,erros e omissões.
Pessoalmente acredito que a unica culpa dos pais foi,e já não é pequena,terem deixado os filhos sozinhos em casa.
A partir daí...talvez um dia se saiba

Dulce Alves disse...

Caro Luís,

também eu considero inegável a culpa dos pais ao terem abandonado as crianças em casa, (facto que assumiram).
A partir daí, não posso imputar qualquer adicional culpa ao casal McCann, embora considere condenável todo este 'negócio' feito à conta do desaparecimento da pequena.
E o que desta feita me faz confusão é que a própria imprensa compactue com essa negociata...