domingo, 19 de novembro de 2006

Francamente!...

A propósito de um motim numa prisão mexicana e da ulterior intervenção policial para lhe pôr cobro, acabo de escutar mais uma pérola jornalística, no noticiário vespertino da RTP1.

Dizia o relato da jornalista portuguesa que o ambiente ficou tenso assim que surgiram helicópteros com "franco-atiradores da polícia"...

Ora, passando a publicidade, o bom serviço do dicionário "Priberam" ajuda-nos, dizendo que um franco-atirador é "aquele que faz parte de um corpo irregular de tropas ou combate, por iniciativa própria, sem estar ligado ao exército legalmente constituído; guerrilheiro; membro de certas associações que têm escolas de tiro".


Quereria a jornalista dizer, por exemplo, atirador de elite ?! Nunca o saberemos, receio bem...

2 comentários:

Quimera disse...

A sua postagem de hoje só vem mais uma vez realçar o quanto deve ser alterado nos nossos meios de comunicação. Efectivamente desde os erros de fundo passando pelos erros de forma e linguistica, é de facto necessario epensar a comunicação social. Obreiros de opinião e de formação desejam-se mais verdadeiros e correctos nos termos.

Dulce Alves disse...

Mais uma prova de que de pouco serve muito 'marranço' e muita especialização a alguns - há que não generalizar - jornalistas de hoje...
... Acabam por cometer os erros mais evidentes, contradizendo-se ao (des)informar os portugueses.