quinta-feira, 23 de novembro de 2006

Francamente II

Sua excelência, o primeiro-ministro, quer aumentar o ordenado mínimo nacional para 400 €. Com 400€ por mês, depois de se pagar uma renda, a água, a luz e o gás quanto é que sobra para comida? Já nao pergunto pela roupa, pelos medicamentos nem, ousadia das ousadias, pelos livros!!!
Digam-me vocês onde é que vamos parar!

1 comentário:

Quimera disse...

Chama-se a isso estrangular o trabalhador…estrangulamento consentido. Falamos de salário mínimo nacional e os demais. Um profissional liberal que tenha de passar recibos verdes do seu “salário” paga 21% para IVA e 20% para ISR, isto é praticamente metade do seu esforço laboral (41%) – esta realidade conheço - e a dos mais que pagam impostos segurança social, contribuições fiscais, etc. É o estrangular de quem trabalha. Aliado a isto sabemos que trabalham apenas 20% da população sendo que os demais vivem desses acrescida a realidade de uma diminuição das taxas de natalidade…isto é pagamos reformas por trabalharmos para elas, mas provavelmente não teremos quem trabalhe para as nossas pesem os descontos…
Bom falar disto é agoniar um pouco…Falar disto é acreditar em imensa pobreza encoberta, falar disto é acreditar num crescente risco ao desrespeito à Dignidade Humana…