sábado, 7 de janeiro de 2012

2012? Ano do Medo ou da Esperança?

Estamos actualmente numa corrida contra relógio! Uma grande parte da humanidade continua dominada pela lei do ego e pronta a todas as loucuras em nome da religião, do lucro, do poder ou para conservar o modo de vida egoísta e esbanjador ao qual se habituou, mesmo se isso conduz ao fim do mundo. 

Por outro lado, outros procuram com sinceridade soluções para os problemas humanos, sociais, económicos e políticos do nosso planeta. Estes últimos incarnam a consciência superior do que é a Vida. Na medida em que um número cada vez maior de cidadãos integrará esta consciência, estaremos mais próximos da “massa crítica”. 

Não esqueçamos que possuímos largamente, há já alguns anos, os meios para pôr fim a toda forma de vida sobre a Terra. A coexistência duma tecnologia avançada com uma consciência limitada constitui uma mistura instável e perigosa que arisca a todo o momento de desencadear uma reacção em cadeia. 

Num mundo onde três quartos dos habitantes ainda são confrontados com problemas de sobrevivência quotidiana e a quase totalidade do restante quarto se mantém apegado aos seus próprios interesses e privilégios, será ilusório pensar, e isto antes que seja tarde de mais, que os problemas serão resolvidos sem uma «viragem» notável. 

Porque existe uma “massa crítica” que comporta bem no seu interior, um patamar crítico a partir do qual tudo pode oscilar num sentido ou no outro: destruição a grande escala ou recuperação planetária. 

Em 2012, este movimento de oscilação pode determinar o nosso futuro. Vamos esperar que oscile do bom lado. 

 Bom Ano para todos. 

Freitas Pereira

1 comentário:

Fátima Laouini disse...

Isso. Apostemos na esperança, ainda assim.