terça-feira, 6 de abril de 2010

Vão e não voltem!

Considero-me um democrata e creio que a liberdade de expressão é crucial para "o pior de todos os regimes com excepção de todos os outros", como diria Churchill.

Creio, todavia, que, por muita razão e ira que os cidadãos de Valença possam ter em virtude do encerramento do serviço nocturno do centro de saúde local, nada justifica o hastear de bandeiras espanholas, no centro da localidade, mesmo perante o auxílio médico disponibilizado pelo alcaide de Tuy.

É obsceno, é um insulto à memória dos que, em várias épocas, deram a vida pela nossa Pátria e é, indirectamente, o enxovalho do mais "sagrado" dos símbolos da nossa soberania: a nossa bandeira.

Nenhum político ou decisão, por mais medíocres que sejam, autorizam o hastear de uma bandeira estrangeira e muito menos da espanhola, dados os cuidados que até o direito diplomático mantém, ainda que devamos cultivar relações amistosas com o povo espanhol.

4 comentários:

Dulce Alves disse...

Também considero um acto lamentável, um ataque à nossa História, como bem sublinhas. Ainda por cima nos dias de hoje, em que o que não falta são formas de manifestarmos o nosso descontentamento com decisões deste foro...

JMO disse...

Caro Gonçalo,

Ainda por cima, quando eles teriam outra forma mais legítima de contestar estas situações: um símbolo nacional como a bandeira monárquica. concordo contigo!

Joao Oliveira

Gonçalo Capitão disse...

Dulce

Desde logo, o voto...


João

Sem entrar no tema da forma de regime, concordo que era melhor :)

cparis disse...

Num País que entrega Olivença de mão beijada a Espanha, tenho pejo em rejeitar esta forma de protesto.
Os portugueses têm de ir a Espanha ser atendidos por médicos (daqui a uns anos, também eles portugueses), ver os seus jogadores jogar, e ver os seus toureiros exercerem a sua profissão.
Nós andamos a exportar talento e a importar problemas.