terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Era bom, era...

Aproveitando o último arrazoado do ano, desejo a todos os leitores e colaboradores do LODO um 2010 cheio de saúde, projectos concretizados e, já agora, melhor política, pois bem precisamos…

É normal preencher-se a crónica de fim de ano com desejos grandiosos e proclamações sobre o quão maravilhoso será o ano novo. Pois bem, abusando da minha qualidade de fundador do blogue, dou-me ao luxo (a veteranice tem destas coisas) de optar por um registo mais céptico e de desejar coisas simples, que tornariam os meus dias menos penosos, mas que, ainda assim, suspeito que não serão fáceis de alcançar, sem que daí extraia algum indício de malquerença celestial. Eis 10 desejos para… 2010:
  1. Creio que não equivale a pedir este mundo e o outro desejar que os portugueses deixem de cuspir em locais públicos. Acho que no século XXI já era altura de parar de me encolher sempre que ouço um trejeito de garganta do tipo “puxar a culatra atrás”. É porco e feio, mas é ainda muito comum.
  2. As eternas pipocas no cinema... Não levantam considerandos de higiene, mas faz-me confusão um “croc” quando Scarlett Johansson se prepara para dizer algo – perturba-lhe a entoação, mesmo quando o conteúdo não interessa – ou o barulho de garras a vasculhar no balde, quando Al Pacino ensaia uma das suas tiradas. Como eu anseio que os parceiros do lado se engasguem… Quantas vezes já me apeteceu virar o balde de pipocas pela cabeça do comensal abaixo e enfiar dois sopapos no topo do recipiente…
  3. Creio que deveriam inventar um sistema de corte de dedos médios (sim, os do meio) da mão dos condutores semelhante ao existente para os charutos. Deste modo, embora condenados a viver com cada vez menos civismo nas estradas, acabavam as obscenidades.
  4. Sem sair do trânsito, sigo sem perceber que relação há entre conduzir e limpar o nariz com os dedos. Mas que a há, há… Talvez fosse uma boa altura para outros gestos deselegantes que muitos homens fazem em público; afinal de contas, ao volante não se vislumbra a cintura, mesmo a do mais labrego.
  5. Por falar em condutores, se houvesse uma multa para a quantidade de azeiteiros (sem desprimor para os originais) que ouvem música (geralmente horrível, quando não foleira) aos berros e com a janela aberta, o défice das contas públicas resolver-se-ia num ápice, tornando desnecessária a polémica do código contributivo, até ao ano 3000.
  6. Não fica à beira de perder o juízo quando está num café e a criatura que está a lavar as chávenas e pires faz uma barulheira capaz de chamar a atenção de um morto? Em Coimbra, é o único problema do meu poiso de fim-de-semana.
  7. Outra coisa que me deixa insano é o afivelar de um par de trombas pelas pessoas que me atendem em estabelecimentos comerciais, onde lhes peço o sublime sacrifício de me deixarem gastar o meu dinheiro. Hoje em dia, já não passo sem dizer “de nada” aos que não me agradecem e “desculpe a maçada” aos trombudos puros e duros; como a minha estatura previne aventuras dos grosseiros em causa, adoro as reacções…
  8. O mesmo receituário aplico a outros tipos de fenómenos sociais contemporâneo: a falta de gratidão, quando deixamos passar alguém à nossa frente, ou a indelicadeza das pessoas que acham normal caminharem como se fossem carrinhos de choque. Nestes casos, recomendo um “deixe lá; eu estou cá para isso” ou um simples, mas audível “não tem de quê”!
  9. Odeio graffitis nos transportes públicos e nos edifícios. É sujo, geralmente não tem nada de arte (não são, na realidade, graffitis, mas sim gatafunhos) e dão ar de degradação urbana. A mais de recomendar um banho de imersão em tinta aos meliantes, censura-se o laxismo das empresas e municípios; desleixo atrai desleixo.
  10. O ambiente interno do PSD deveria mudar… Lembro-me à vez de um saloon do Far West ou de uma taberna de piratas, sempre que vejo o regime fratricida e “caciqueiro” que domina muitas das estruturas daquele que já foi (e poderá voltar a ser) um “grande partido grande”…

5 comentários:

Dri disse...

Fantastica imagem da nossa sociedade. Esses desejos são, sem duvida, subscritos por mim. E se todos pensassemos assim..... talvez Portugal crescesse.

bjs e boas entradas em 2010
Dri

Raul disse...

Fantástico.

E pensar que eu deixei de ir ao cinema precisamente por causa das pipocas e a pensar que o defeito era meu. xiii...

Bom Ano e que tudo o que dizes se concretize.

Luis Melo disse...

Excelente Gonçalo. Excelente !!
Todas essas são coisas que, apesar de parecerem pequenas aos olhos de outros, me fazem desesperar.

Na minha ideia, essas são entre outras, as razões para que Portugal seja um país atrasado. Onde se trabalha muito e produz pouco, onde os governantes são gente incapaz, etc.

Bom 2010 a todos os "Lodos"

Francisco Castelo Branco disse...

Tb desejo o mesmo lol....

Se tudo for concretizado, viveriamos no paraíso............

mas acho que o mais importante é o PSD encontrar um bom lider....

definitivo!!

bom ano cheio de posts e animaçao

Gonçalo Capitão disse...

Meus Caros

De volta à luta laboral, agradeço os vossos simpáticos e estimados comentários, esperando que tenham entrado em 2010 cheios de força!

Quanto aos apontamentos... Bem, infelizmente é mesmo o nosso nacional-"parolismo"...

Ah! Raúl: não deixes de ir ao cinema. Resolve-se (mais ou menos) jogando com as sessões e as salas!!!