terça-feira, 4 de agosto de 2009

Reforço de um pequeno núcleo

Parece que Manuela Ferreira Leite recusou a indicação da distrital de Vila Real para que Pedro Passos Coelho fosse o cabeça de lista local às legislativas, receando criar cisões no grupo parlamentar laranja. 3 Julho
Hoje, passado um mês, veio rejeitar liminarmente esta possibilidade.

Ângelo Correia já veio lamentar a decisão, questionando onde está a representatividade dos social-democratas que se revêm na linha de PPC. Eu subscrevo e pergunto:

Mais vale manter intocável este núcleo palaciano do que unir todo um partido?
Preferimos ter H. Lopes da Costa e António Preto (da mala) a defender os interesses dos portugueses?

Haverá algo aqui que eu não estou a perceber ou é apenas um sintoma da silly season?

4 comentários:

Dulce Alves disse...

Tânia,
não tentes compreender os critérios usados nas escolhas para as listas... é um verdadeiro quebra-cabeças e variam ainda não se sabe muito bem dependendo de quê...!

A propósito disso, achei inacreditável o que li há pouco no DN: "No primeiro lugar por Setúbal, repete-se o nome de Fernando Negrão, seguindo-se Luís Rodrigues e um nome feminino, obrigatório para cumprir a lei da paridade."

Ou seja, o nome da candidata nem sequer se menciona, que raio interessa isso?!!! o que importa é dizer que ela está ali porque as quotas impõem!

Era o que eu temia... :(

Tânia Morais disse...

Olha, no caso de Setúbal, duas notas:

O mesmo que se passou com o caso do PPC passa-se com a distrital de Setúbal. A escolha dos deputados (francamente elegívis) pouco tem a ver com as vontades da CPD...
O nome feminino deverá ser a antiga governadora civil, Mercês Borges...
Mas tens razão, vê-se a léguas o caminho que levamos com a imposição de quotas. "A senhora foi eleita? Pois... Agora é obrigatório"

Eu não quero tentar compreender os critérios da liderança, pois a questão que coloquei parte da justificação da própria Ferreira Leite.

*

Luis Melo disse...

Se Pedro Passos Coelho fosse um homem coerente, recusava entrar em qualquer lista do PSD. Nas eleições internas do PSD disse ser contra quase todas as ideias de Manuela Ferreira Leite.

Ao fazer este "braço de ferro" para ficar na lista de Vila Real, está nitidamente à procura de "lugar" para se "posicionar". Ou seja, é uma atitude que tem por base um objectivo pessoal e partidário ao invés de um propósito nacional e colectivo.

Este "enviado especial" de Ângelo Correia e dos seus interesses está, da pior maneira, a tentar ganhar o seu espaço no partido, esperando que o PSD perca as eleições de 27 Setembro, para poder avançar.

O que vale, o tiro vai-lhes sair pela culatra.

Tânia Morais disse...

Luis,

PPC disse discordar da política de MFL, criou então o Construir Ideias para sedimentar as suas posições (com o apoio de especialistas das mais diversas áreas), o que me parece coerente;
Foi o escolhido da distrital de Vila Real para o Parlamento. Logicamente que quererá ter algum palco, e posicionar-se para a possível conquista da liderança do partido, mas e então?


Julgo que isto seja sobretudo um problema de sombra.