domingo, 29 de junho de 2008

Filho da puta

Peço desculpa pelo título aos leitores e colaboradores mais sensíveis, mas já não sei que diga sobre Robert Mugabe, Presidente de facto (que não de direito) do Zimbabué.
Não sou a voz mais autorizada do blogue (a "cruzada" do Lodo tem outro líder) para falar sobre ele, mas acho nojento que, depois de perseguir o líder do partido da oposição (Morgan Tsvangirai) ao ponto de o forçar a desistir da 2ª volta das eleições presidenciais, para proteger os seus apoiantes, e de ter torturado (via forças de segurança ou esbirros do seu partido, ZANU-PF) quem assumiu que o mais legítimo e democrático "basta!", venha agora convidar Tsvangirai para a tomada de posse, numa eleição que roubou.

E para quem tenha complexos ou ache que sou preconceituoso, recomendo que vejam o que diz o Prémio Nobel da Paz, prestigiado clérigo e famoso inimigo do apartheid, Desmond Tutu, que, estando longe de ser branco, admite mesmo a necessidade de intervir pela força.

O facto de haver mais quem sofra não é desculpa para que se vire a cara ao que passa o povo do Zimbabué.

4 comentários:

Jonitu disse...

são vergonhosas as atitudes de mugabe...não acredito na violencia como solução de qualquer problema seja qual for a sua dimensão e a provar isso temos Nelson Mandela, Tenzin Gyatso (actual dalai lama), se Desmond Tutu acha que a violencia é a solução só posso achar que está errado...agora a superioridade moral temos que a mostrar sempre...mas esse titulo Gonçalo (desculpa sei que só lê quem quer e és livre de escrever o que queres e bem te aptece)não revela a coerncia nem a inteligencia pela qual pautas os teus textos...

Gonçalo Capitão disse...

Foi provocação calculada, caro Amigo. ;)

Luis Cirilo disse...

Assino por baixo o teu post.
Incluindo o filho da puta...

Dulce Alves disse...

Foi preciso que a crise do Zimbabwe atingisse o seu 'ponto de rebuçado' para que a Europa e o Mundo se curassem de um certo autismo e percebessem a dimensão da tirania de Mugabe. Agora todos refilam, contestando a legalidade da eleição. Tarde demais. O inamovível Mugabe está empenhado em acabar de vez com o seu país e ninguém vai ousar contrariá-lo. Parece que a "cruzada" do Lodo no que a isto respeita termina por aqui...