sábado, 24 de maio de 2008

Calem esta tipa

Ainda não tinha assistido ao regresso de Manuela Moura Guedes à televisão, pelo simples facto que evito o telejornal da TVI, não gosto, é sensacionalista, cor-de-rosa e com peças jornalísticas onde o principal objectivo é o de fazer chorar as pedras da calçada.

Por força do debate entre os candidatos a líder do PSD tive que sintonizar a TVI e deixem-me que vos diga que fiquei revoltado com a moderação do debate. Aquela senhora foi claramente parcial, arrogante e gesticulava de forma desadequada ao questionar os candidatos.

Ontem (e quase sempre), esta ex-deputada Popular que andou, à época, a fazer analogia política com “tachos” de cozinha foi uma jornalista propagandista. Tentou dominar a opinião pública e a dos militantes do PSD tendo uma acção coerciva para com dois dos candidatos: Patinha Antão e Pedro Passos Coelho, sendo no caso do segundo, inqualificável.

Provavelmente pensará que a sua mensagem é doutrina. Outros, como eu, consideram-na ridícula.

7 comentários:

Filipe disse...

Amigo Ricardo, concordo em pleno. A senhora em causa não esteve, de facto, ao nível do debate. Além disso, penso que é uma ofensa à classe jornalística ter como pivot de telejornal uma senhora que, claramente, não tem capacidade para tal. A situação torna-se ainda mais caricata, pelo facto de o seu marido ser um dos principais responsáveis da estação.

Gonçalo Capitão disse...

Sempre me disseram que a cirurgia plástica podia ter implicações na estabilidade emocional. Não sendo especialista, nada digo.

Porém, eis algo que pode abonar em favor do clamor do Ricardo:

http://www.youtube.com/watch?v=nikjVx7axao&eurl

Dulce Alves disse...

Não pude ver o debate mas confirmei via youtube a desgraça que foi. MMG não sabe o significado de 'moderação'. Bem ela dizia há tempos numa qualquer entrevista que é o "rottweiler" da televisão... Agressiva é imparcial é, isso não haja dúvida.

Ricardo, faltou ainda mencionar a missa muito pouco ortodoxa de Vasco Pulido Valente mal acabou o debate...

Ricardo Cândido disse...

Totalmente de acordo, Filipe.
Também tenho dúvidas se esta senhora ainda por aí estaria se não fosse o magistério de influências do seu marido.

Pois Dulce... Omiti esse importante pormenor.

Foi tudo mau nesse debate. Eu se fosse os candidatos a líder não voltaria a dar entrevistas nem a falar para a TVI, pelo menos durante a campanha. Esse canal Pimba prestou um péssimo serviço ao partido.

Cambada de carreiristas... (Para ex-deputado Capitão entendedor ;)

Observant disse...

Foi uma vergonha o que a MMG fez. É incrivel como ainda aparece na TV. A sua atitude é igual á sua cara (perdoem-me ser tão violento).

Como é que é possível isto...

Adriana disse...

MMG é o protótipo de uma jornalista que viola o codigo deontologico da sua profissao. Se calhar falhou as aulas de deontologia. Só é pena que ninguem a responsabilize por esse tipo de condutas. Mas temos de nos ir habituando que em Portugal há cidadãos sujeitos a lei e cidadãos imunes... lembremo-nos do eng. socrates e do fumo.

Dulce Alves disse...

Nem mais, Adriana. Neste país premeia-se a falta de profissionalismo e a prepotência e depois dá-se-lhe um nome pomposo - neste caso particular os defensores dirão que se trata do "estilo jornalístico" de MMG. Coisa que só pode ser apreciada por gente que não percebe que isenção e circunspecção são valores intrínsecos ao jornalismo...