terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

Adeus Fidel



Fidel Castro renunciou hoje ao cargo que ocupava há mais de 50 anos... Será que ainda respira?!?!?

Quero ir a Cuba depressa!

2 comentários:

Gonçalo Capitão disse...

Quanto a Cuba: leva-me contigooooooooooooo!!!

Já quanto ao mocinho das barbas, creio que já vai tarde... Muito tarde...

Os seus maiores admiradores INFORMADOS livremente são exactamente os que nunca tiveram que viver a miséria a que conduz um socialismo de partido único que nunca chega à sociedade sem classes. Talvez os mesmos que culpam o embargo americano por tudo e mais umas botas...

freitaspereira disse...

A Administraçao do Lodo e a autora do "post"que me perdoem se abuso um pouco do espaço! Mas nao resisti !

Raramente um revolucionário, um homem de Estado terá provocado tantas reacções extremas como Fidel Castro. Alguns adoraram-no antes de o queimarem na praça publica, outros conservaram uma certa distância antes de se aproximarem de novo deste personagem fora do comum. Fidel Castro foi o “Fidel” ou o “Comandante” para os Cubanos e latino americanos, mas nunca o” leader máximo,” formula criada pelos adeptos euro-estadosunidenses do atalho fácil.
Filho de um abastado proprietário, não tinha o perfil de um revolucionário. Alfredo Guevara, cineasta, disse “ Ou será um novo José Marti ou um gangster”.

Primeiro acto : Ataque da caserna de Moncada em 1953. Falhanço e 15 anos de cadeia. Mas libertado 2 anos mais tarde, exílio com o irmão Raul para o México, onde encontra muitos outros oponentes a Baptista, o ditador Cubano aliado dos EUA. Encontro no exílio com um jovem médico argentino, Ernesto Rafael Guevara de la Serna. O “ “Che” !

Em Dezembro de 1956, com 86 outros exilados desembarca em Cuba. Sobe para a Sierra Maestra, onde começa a guerrilha contra Batista.
Em Washington, ninguém se preocupa. Quando mais tarde ele entra em La Havana, o ditador Baptista vem para a nossa ilha da Madeira. Os Americanos estavam fartos dele e não o quiseram com eles. Eisenhower manda Nixon a Cuba verificar se realmente Fidel é comunista. Mas Nixon diz a Eisenhower “ Não se preocupe” !” Ele é um pequeno burguês que virá à sopa como os outros!”
A revolução põe-se em marcha. No inicio não há problema. Mas um dia a United Fruit é expropriada. Fidel assinou nesse dia a condenação à morte da revolução cubana e a dele também.
Primeiro atentado da CIA no porto de La Havana em 1960 :100 mortos.
Desembarque de 1400 exilados cubanos na Baia dos Porcos, organizado pela CIA. Fracasso total. Kennedy é furioso.
Embargo total da ilha e grave incidente com Kruchtchev. Guerra nuclear evitada de pouco, pela inteligência de Kennedy e do Russo.
Durante dezenas de anos, muitos estratagemas da CIA para assassinar Castro. Um amigo da “onça” oferece-lhe um fato de mergulhador envenenado! Charutos explosivos! Mercenários descobertos a tempo. !Destruição de fábricas, introdução da peste porcina, introdução do vírus nas plantações de tabaco e de açúcar, ! Asfixia da ilha, desembarques de comandos! Ele escapa a tudo.

Sobreviveu a Eisenhower, Kennedy, Johnson, Nixon, Reagan, Ford e assistiu à partida de Carter, Nixon Bush senior e Clinton; e quem sabe talvez ainda de Bush júnior !
O “Caballo” como lhe chamam em Cuba é muy fuerte!
Deve-se acusar Fidel de ter acolhido os refugiados fugidos das ditaduras da Argentina, Chile, Haiti e Bolívia , e das crianças contaminadas de Tchernobyl ? De ter ajudado os rebeldes do Salvador e da Nicarágua ?
De ter aberto as escolas e os centros de saúde a todos os parias da América Latina?

De ter expulsado os padres que rezavam pela saúde de Franco nas igrejas ?
Nenhum padre foi assassinado em Cuba. No Brasil, Guatemala, Argentina, Honduras, Chile SIM !
De ter acolhido calorosamente o Papa João Paulo ?
De ter alfabetizado quase a 100 % o povo cubano? De ter criado a assistência médica gratuita?

Tantos anos de agressões e golpes urdidos pelos mesmos, tantos anos de resistência de um pequeno pais de 12 milhões de habitantes frente à primeira potência económica e militar mundial ! Quem faria melhor?
E apesar de todas as lacunas e acções repreensíveis em Cuba, não seria melhor e mais honesto de questionar se um pais atacado por todos os lados, estrangulado, em guerra permanente, constitui a melhor terra para semear a democracia ?