quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

Descubra as diferenças * (II)



Do imaginário infantil à capa da FHM.
Luciana Abreu, aka Floribella, despiu-se literalmente do papel que a tornou num ídolo das criancinhas e resolveu dedicar-se ao mundo dos adultos.
Não se fala de outra coisa neste país, pelo que é tema a que não fiquei imune, até porque muito me surpreende. É que soou-me a uma certa incoerência.
Depois de apregoar tanta lição de moral e bons costumes e, particularmente, depois de há dias ter garantido aqui [minuto 16] - com aquele ar indignado pela ousadia do apresentador - que ser capa de revista masculina, nunca...! chego à conclusão que talvez tivesse sido mais correcto se tivesse pronunciado um "jamais à la Mário Lino"...
É certo que é livre de se desvincular de uma imagem que, além de desgastada, já não representa. Mas não sei até que ponto será com esta imagem camaleão, silicone qb e capas ousadas que o conseguirá.
Já agora, vale a pena constatar que a moça não se cultiva lá muito: ao minuto 18 daquele programa revelou desconhecer Manoel de Oliveira. E ainda tem o desplante de andar por aí a anunciar que nesta nova fase da sua vida quer arriscar o cinema... Já diz a sabedoria popular que "dá Deus nozes a quem não tem dentes".
* grau de dificuldade: avançado!!

11 comentários:

Gonçalo Capitão disse...

A malta até agradece... Mas, na verdade, é apenas mais uma desmiolada que escolheu o caminho mais fácil.

O que me a apoquenta nem é a "Flori qualquer coisa", mas sim a dúvida sobre se as quotas nas listas vão premiar algum mérito.

Se os "machos latinos" que dominam os partidos não forem hipócritas, já há muitas escolhas que podemos questionar.

Nota do autor: como sempre, sei o que digo e assumo-o na exacta medida do que escrevi.

Ricardo Cândido disse...

Não me parece que as coisas sejam bem assim.

Esta donzela que dá pelo nome de Luciana Abreu é bem mais inteligente do que se possa pensar.

Penso que este reposicionamento mais não é do que uma estratégia de fidelização promovida pela “sex simbol” Abreu.

Luciana sabe é muito mais fácil fidelizar os fans que adquiriu enquanto Flor(qualquer coisa) do que arranjar novos.

A pequenada que a idolatra vai crescendo, e a Flor também.

Dulce…. Ainda a veremos completar a trilogia Call Girl, com um léxico de colocar qualquer Soraia Chaves encostada a um box.

Ricardo Cândido disse...

Nota:
O comentário anterior tem apenas o intuito de ser... "engraçadinho".

lmsl1967 disse...

Boas

Gonçalo, não sejas mauzinho, após alguns meses no I***** onde qualquer camelo (não os da margem sul) já me pareciam umas beldades, olha aparecer-me uma beduina deste calibre à frente..........

a) Fugia.
b) Atirava-me a ela.
c) Virava costas a pensar que estava com insolação.
d) Telefonava aos meus filhos a perguntar os dados biométricos da moçoila e comprava um satelite para passar a ver a floribela.

Não vou aqui divulgar a escolha certa, fica no imaginário de cada um.

Miguel Sousa

Rui Miguel Ribeiro disse...

A Florifeia (Contra-Informação) era pirosa. A versão de borracha deixa muito a desejar.
Mais uma (podia ser um) desmiolada a tentar aparecer a todo o transe.

Gonçalo Capitão disse...

O melhor é convidarmos a própria para o primeiro forum do Lodo e blogs amigos... Debate moderado pela Dulce, que teve a ideia deste texto!

Que acham? :)

Dulce Alves disse...

Gonçalo,

deixa-te dessas ideias :) não compreendo como é que contando com seis mulheraços no plantel do lodo te ocorreu tal disparate! ;)
até porque a julgar pelo que se viu no programa do Alvim, torna-se difícil ter 5 minutos que sejam de conversa com a moçoila...

Ricardo,

não deixa de ser lógica (e curiosa) essa tua observação de que ela está é a fidelizar os fãs..!
Eu a questionar a inteligência da moça e tudo aponta que esta sua estratégia lhe seja bem profícua (pelo menos no que à conta bancária respeita).


Breve nota: porque será que nos últimos tempos é este o post mais comentado aqui no Lodo?! ... tal fenómeno não se ficou a dever, com certeza, às palavrinhas da autora, que limitou-se a constatar o óbvio. Um verdadeiro case-study, não haja dúvida! ;)

Gonçalo Capitão disse...

A mais de os teus textos serem sempre de ler, o ridícula da Luciana é de anotar...

As pessoas aqui arriscam menos, porque não dá para anonimato.

Porém que deixa que há gente que nos lê :)

lmsl1967 disse...

Boas

Constou-me que os ditos implantes custaram a módica quantia de 5000 euros.

Mas que ficam bem, lá isso ficam, quanto ao intelecto da moçoila, entre umas leituras de Hannah Arendt, Manuel Castels, Adam Smith ou Roger Scruton, sempre se podia arejar com conversas banais, ou talvez não.

Miguel Sousa

freitaspereira disse...

D. Dulce Alves

Este « blog » é cada vez mais escorregadio e torna-se cada vez mais difícil de seguir o percurso sinuoso dos temas que ele aborda. De um tema onde as feras se escapam para a liberdade na Azambuja, passa-se para uma mini-remodelaçao ministerial de um governo que escapa aos seus eleitores e perde popularidade.
Mas eis senão que aparece no meio um tema que chama a atenção para uma donzela que , aparentemente e artificialmente dotada de “argumentos” volumosos, consegue bater todos os recordes de leitura neste “blog” como muito bem notou a sua autora.
E se bem que alguns façam diversão argumentando da pouca cultura da vedeta, não há duvida nenhuma que não é esse aspecto que os faz fantasmar ...no deserto !
E que outros digam que são argumentos de peso para atrair novos fãs e popularidade, também é verdade!
Vivemos sem duvida tempos extraordinários nos quais os média jogam um jogo profícuo ao tratarem temas “culturais” de outra espécie, e é bem claro que mais , hoje, se despe uma donzela, mais as vendas aumentam para o consolo dos accionistas!
E que ninguém pense que é só na esfera inferior da sociedade que esse fenómeno se observa, porque na alta esfera da “high society, o fenómeno toma proporções alarmantes. Se a donzela despida do Lodo pretende, talvez, só, arrecadar alguns euros para a conta bancária para o dia em que os “argumentos”, submetidos à lei da gravidade universal, se inclinarem para o plano horizontal para onde todos iremos um dia, por culpa do Sr Newton, outras há que sobem à luz da ribalta porque a gloria da beleza é fugaz e que é preciso aproveitar enquanto ela existe.
Ao escrever estas palavras tenho à minha frente a imprensa desta manha, em França, onde a tinta corre a jorros para celebrar o casamento da senhora Carla Bruni e o Presidente da Republica Francesa, Nicolas Sarkozy.
No mesmo momento, leio o grito de desespero de muitos membros da “gentry” cá deste pais, lamentando o facto que a Primeira Dama de França apareça completamente nua (porquê completamente ?), no tal magazine madrileno, após tantos outros por esse mundo fora. A sociedade sobe transformações incríveis e é por isso que me interessei a este “post” da D.Dulce Alves.
Posso entretanto garantir que nunca pensei que um dia comentaria um tal tema neste “blog” ou em qualquer outro.

Mas tenho uma suplica que gostaria de deixar neste respeitável “blog” , àquelas que inundam os nossos olhos de prazer quando são naturais:

Mesdames, sob ou sobre dotadas naturalmente desses apêndices que fazem permanecer , de pé, longos minutos, no Louvre, em frente da estátua da Vénus de Milo que, mesmo mutilada, nos extasia : Je vous en prie, não vos deixeis tentar pelas sirenes dos institutos de cirurgia estética! Os vossos seios, quaisquer que sejam a dimensão e a forma, devem continuar naturais! (Alias, a Carla .. Enfin, Passons !)
Quão de mais desagradável para um homem que vos seduziu de descobrir no momento dos jogos de Eros que esses trofeus cuidadosamente e delicadamente expostos e postos em valor nesse decotado profundo hoje muito na moda, não são mais que vulgares apêndices de silicone , desprovidos de toda e qualquer sensualidade e que, ao tocar , é tão evocativo como um balão de plástico! Que provocação que esses seios nus que continuam a apontar para o teto em não importa qual posição!

S’il vous plaît, para nos respeitar, nos, os homens, que vos amamos tais que vos sois, não aceitai de vos dar em pastagem aos charlatães e aos diplomados da cirurgia. Todas as mulheres não siliconadas encontram sapatos.. à sua medida! Não é porque os seios são pequeninos que não sois femininas. Não é por isso que eles não nos atraem . O seio ideal não existe!

Voilà! Creio que isto devia ser dito...
Em conclusão, direi simplesmente : Viva os seios naturais, abaixo os seios silicone-borracha (até o nome é feio !)
Conheço uma, que quando traduzir o meu “post” a vai descomplexar ! Espero não ter chocado outras...

PS) Pergunto a mim mesmo o que dirão os arqueólogos daqui a 2000 ou 3000 anos quando nos estudarem e encontrarem dois saquinhos de borracha postos ali ...
Vão construir muitas hipóteses mais estúpidas umas que as outras . Gostava de os ver à obra...


Respeitosamente

Freitas Pereira

Dulce Alves disse...

Caro Freitas Pereira,

Não restam dúvidas de que o Lodo é um blog ecléctico, que suscita à reflexão e ao debate sobre os mais diversos temas.
Quanto à sua dissertação, uma leitura interessante pela naturalidade e elegância no estilo.

Acredito que as fotos escolhidas para o ilustrar tiveram influência na afluência de leitores e comentários, mas creio que foi de entendimento geral que o cerne da questão não serão os implantes da moça por 5000 euros.

Pessoalmente, não quis destacar tanto as diferenças físicas da moça, mas sobretudo as diferenças de atitude. De moralista a pervertida? Talvez soe a exagero, mas eu tenho boa memória e lembro-me de Luciana Abreu a invocar “santos, santinhos, anjinhos, pobrezinhos e criancinhas”. Hoje deparo-me com uma mudança radical de postura consubstanciada essencialmente nas fotos e declarações atrevidas, vá lá, com que foi capa de revistas nos últimos tempos.

Mais do que o tamanho da copa da moça, incomoda-me a incoerência e a leviandade com que fala e age uma das figuras que, quer se goste, quer não, ainda marca o quotidiano de muitas criancinhas neste país. Se resolvem seguir-lhe as pisadas….