quarta-feira, 12 de dezembro de 2007

PÚbico

Eu leitor do "Público" me confesso...
Quase sem excepção, todos os dias leio o diário em causa de fio a pavio.
Porém, de quando em vez, lá vem o balde de água fria. Vejamos: anteontem, no Parlamento, Paulo Portas atacou José Sócrates, comparando a alegada perseguição aos contribuintes com a que Afonso Costa moveu às ordens religiosas, enquanto figura de proa da I República (tempo de má memória, digo eu...).
Um dos destaques da pág. 6 do Público, na edição de ontem, dizia "Debate forte entre líder do CDS e primeiro-ministro - Portas compara Sócrates ao mata-frades".
Ora bem, lá fui eu confirmar a ideia que tinha de que quem, efectivamente, se celebrizara por esse epíteto fora, isso sim, Joaquim António de Aguiar, também ele pouco dado ao crucifixo, embora ainda na monarquia...
Mas, mais curiosidade tive em perceber por que razão uma jornalista conceituada embarcara neste erro e guardado estava o bocado...

Como já sei do que a casa gasta, vou à boa da Wikipédia e leio sobre Afonso Costa que: "recebeu, dos seus opositores, a alcunha de 'mata-frades', pela legislação anti-clerical que mandou publicar - expulsão dos jesuítas, estatização dos bens da Igreja (...)".

Já no matutino lia-se: "que ficou conhecido como o 'mata-frades', devido a medidas anti-clericais e à estatização dos bens da Igreja".
Até pode ser, mas, ao que sei, nunca foi "O" mata-frades!
Não consigo nem quero provar o que quer que seja, mas lá fica a dúvida...

A Wikipédia é simpática, mas, mercê de ser livremente editável, contém muitos erros, imprecisões e falsidades. Todavia, segundo sei de fonte segura, cada vez mais, muitos dos nossos jornalistas baseiam aqui a sua "exaustiva" investigação, com os danos que isso tem sobre os cidadãos (poucos) que ainda se prestam a comprar um bom diário, nos dias em que não traz DVD...
Se o meu instinto está certo, há aqui um toque pornográfico, pela descarada negligência...

1 comentário:

Dulce Alves disse...

Não me espanta nada este tipo de jornalismo - num jornal de referência ou num qualquer tablóide - mas confesso que muito me preocupa.
Infelizmente as Univs estão a formar senhores e senhoras que absorvem e transmitem informação qual fast food. A wikipedia é como a comida rápida: acessível, cómoda, barata, engana o 'estômago' e aquieta a 'fome'.
Problema: está longe de satisfazer o consumidor. (Ou pelo menos, os mais exigentes, como o Digmo Administrador da Lodo SAD...) ;)