domingo, 22 de março de 2009

The LODO files: Há Taça e furto no Algarve


[Dulce Alves]: A peregrinação do Lodo ao Estádio do Algarve neste sábado saldou-se positiva, nem tanto pelo que se passou dentro das quatro linhas ou pelo desfecho do jogo - mesmo para uma adepta e um simpatizante do clube da Luz - mais pela viagem até ao Sul num dia a fazer jus à chegada da Primavera e numa noite quente lá para os lados de Loulé, num estádio a extravasar de gente, emoções à flor da pele e muito (muito mesmo) nervosismo.

É que apesar do mau momento que ambas as equipas atravessam, os adeptos compareceram em força - com uma clara predominância dos encarnados, é certo - e imprimiram à final um tom de festa bonito de se ver - não fosse a polémica arbitragem e a costumeira desordem das claques benfiquistas...

[Gonçalo Capitão]: De permeio, um ou outro suspiro destinado ao Jamor (que isto da Taça da Liga ainda não tem o mesmo glamour da Taça de Portugal...), onde um dia, ainda sem bengala, esperamos ver a grande Briosa trazer o troféu de volta a casa (relembro os ígnaros de que a primeira Taça é "preta" e data de 1939).

[Dulce Alves]: Longe da balbúrdia que reina nos topos, nas bancadas respirava-se o fair-play dos adeptos, onde uma mescla de benfiquistas e sportinguistas faziam a festa ainda nem se tinha ouvido o apito. Claro que as cheerleadears ajudavam à festa..., bem como as personalidades que iam aparecendo na Tribuna (com Sá Pinto a animar as hostes femininas).

[Gonçalo Capitão]: Tribuna onde, aliás, António Costa (Mayor de Lisboa) acompanhado de José Apolinário (congénere farense) dava autógrafos e onde Gilberto Madaíl se passeava ainda com a cara destapada (isto de não ter vergonha na dita...).

[Dulce Alves]: Ali abaixo reluzia a Taça, resguardada por dois seguranças, não vá o diabo tecê-las. O seu destino reservado a quem a merecer. Ou talvez não...

Lá soou o apito e as atenções voltaram-se para as quatro linhas, onde ambas as equipas mostraram vontade em arrecadar o título. Pelo menos numa primeira parte, bastante equilibrada e a ameaçar golos para ambas as partes.

Em redor das quatro linhas, uma novidade. Em vez dos habituais miúdos apanha-bolas, desta feita lembraram-se de pôr meninas vistosas a correr atrás da bola sempre que esta ia fora. Claro que a beleza das moças não suplantava a sua inteligência, já que por várias vezes remeteram a bola ao guarda-redes quando havia sido assinalado canto...(!!)

Um empate a zero ao intervalo deixava antever uma segunda parte sofrida e emocionante. Por falar em sofrimento, não se percebe como é que há gente que sobrevive a um jogo de futebol. Ou melhor, como é que há corações que aguentam 90 minutos naquele pulsar. Há quem grite até a voz falhar, quem dê murros no ar, quem salte até se estatelar, quem roa as unhas até nada mais ter para roer, quem declame impropérios como de se poesia se tratasse, quem pontapeie o betão sem dó nem piedade, sem que se perceba como é que chega ao fim do jogo são e salvo...

[Gonçalo Capitão]: Durante esse interregno, Laurentino Dias (Secretário de Estado, inter alia, do pontapé-na-bola provava como convive bem (eu diria mesmo que não vive sem isso) com a exposição pública, ficando para trás, ao intervalo, enquanto os demais circunstantes foram, como é hábito, "encher a blusa"... Houve ainda tempo, é claro, para fazer o frete de olhar um outro relance sobre a actuação das cheerleaders...

[Dulce Alves]: Entre um cerveja e uma queijadinha de Sintra, para a maioria o recomeço do jogo tarda. Já nem se dá pelas pungentes meninas que dançam no relvado (apesar de doutrina contrária; vide supra...). Ouve-se sem paciência os tambores que soam sem parar e centram-se as atenções na Babel em que se transformou o topo benfiquista - e eu encolho-me, envergonhada pelos adeptos do meu clube que não sabem festejar sem fazer estragos.... - até que as equipas regressam ao campo, para gáudio dos demais.

Regressam também os cânticos, mas quem dá música logo aos três minutos da segunda parte é o Sporting, com um golo de Pereirinha. Se uns dizem "só eu sei, porque não fico em casa" eu começava a pensar porque é que não fiquei por casa...

Depois vem a grande penalidade que não era grande penalidade - mas que dali também nos parecia grande penalidade - e vem também a esperança num desfecho (do) Glorioso. Reyes não falha e o estádio cobre-se de tons vermelhos.

[Gonçalo Capitão]: Um dia depois, Lucílio Baptista, o árbitro, pede desculpa. Soares Franco, débil (desde que disse que não se recandidatava; é dos livros, sôtor...) Presidente do grupo da clorofila, diz que não chega... Eu digo que, se isto fosse um país decente, o SLB faria como Arsène Wenger, manager do Arsenal, que, um dia, pediu a repetição de um jogo que a sua equipa ganhou, assim que se constatou a irregularidade do triunfo. Porém, se somos uma nação de chicos-espertos e aldrabões, por que há de Vieira (Luís Filipe), a quem cabe a espinhosa tarefa de liderar 6 milhões deles, tentar ser moralista?! O problema é do de sempre: como ninguém começa a dar o exemplo (e quem dá é tragado pelas massas ululantes, com o epíteto de "trouxa"), nada muda.

O resto... Bem, o resto foi uma tímida festa (parece que os adeptos do Benfica já haviam verificado a mancha na passadeira da glória) e um pouco de campanha pelo Dr. Soares (vulgo, pequena sesta) no carro, que a fila prometia horas de espera.

Todavia, como a ingratidão não tem limites, ninguém esperou e acordámos num descampado sem um só carro à volta!... Com franqueza, creio que a nossa reportagem merecia mais consideração das pessoas!!! Se calhar era muito dar um toque no vidro e avisar que era hora de ir embora?!...

Cientes do lapso, não cobrámos horas extraordinárias à Administração da LODO, S.A.D.


Dulce Alves e Gonçalo Capitão; o LODO no Estádio do Algarve.

3 comentários:

luis cirilo disse...

A vossa reportagem está excelente e li-a com imenso gosto.
Um caso giro de um post a quatro mãos !
Pena só a final da taça da liga não ter sido entre o Vitória e a Académica.
Mas lá virá o dia...

Dulce Alves disse...

Obrigada, Luís :)
E vá-se habituando, que esta 'rubrica' do Lodo promete ;)

Gonçalo Capitão disse...

Assim espero, amigo Luís.