sábado, 20 de dezembro de 2008

E um murro nos cornos, não?!

Robert Mugabe acaba de afirmar: "o Zimbabué é meu"!

Já não tenho palavras para transmitir o nojo que este ditador me causa.

Isso e a epidemia de cólera que já matou mais de 1000 pessoas...

Isso e as notas de cem mil milhões de dólares locais (cerca de 14€ !!!) que foram emitidas uma semana depois de outras que valiam apenas quinhentos milhões...

Tanta gente que morre e que faz falta, diria o meu amigo Vasques...

4 comentários:

Jonitu disse...

"o Zimbábue é meu" já falta ouvir poucas coisas deste senhor, depois de dizer que acabou a cólera vir dizer que manda no país (o que tendo em conta a sua politica é verdade) é o fim..o objectivo de anunciar o fim da cólera era apenas evitar uma invasão armada por parte dos EUA, vendo as coisas do hemisfério norte a invasão seria uma boa opção mas para quem já viveu num país em guerra, não é tão bonito e simples quanto parece, mas esse foi o modo como o ocidente olhou para África mesmo quando apoiou golpes de estado que apenas serviram para destituir bons governantes e colocar lá ditadores, não tenho a solução para o Zimbabué mas trata-lo do mesmo modo que o senhor Mugabe o faz ("o Zimbabué é meu) não me parece a melhor solução, nem abona muito a favor dos que tanto o criticam, apoiem a distribuição de medicamentos para erradicar a cólera ao invés de crer lucrar com ela, ao invés de se passar tempo a criticar o senhor Mugabe devia-se tentar dar alguma dignidade a população do país, mas o objectivo não é melhorar África mas sim criticar quem a prejudica...ai Hipocrisia o que seria de nós sem ti.... jonitu

Luis Melo disse...

Pensei que o senhor estava senil, mas não... é pior que isso.

Francisco Castelo Branco disse...

parece aquela declaração de Luis XIV "l´ÉTAT CEs moi"; porque quererá Mugabe controlar o Zimbabue, uma terra perdida no meio do nada em Africa? ofuscada pela Africa do Sul?

e quando morrer? o zimbabue será de quem?

Gonçalo Capitão disse...

Jones:

Sabes bem que, embora tenhas razão em alguns casos, não é fácil ajudar os necessitados deste tipo de países porque os ditadores querem o mínimo de contacto com o exterior. Tem sido assim também com a Coreia do Norte e com a Birmânia (Myanmar).



Luís e Francisco

Receio bem que o pior ainda esteja para vir...