segunda-feira, 3 de novembro de 2008

O mais longo spot da campanha de Obama

5 comentários:

Luis Melo disse...

Por uma questão de principio, não vejo este tipo de filmes...

Não vi os filmes de Moore, e também não vou ver este do Stone...

Gonçalo Capitão disse...

Eu vejo todos e gosto de ver "teses". Depois, cá arranjo a minha.

Gostei de "Camarate", por exemplo.

Luis Melo disse...

Vi Camarate e não gostei. Precisamente por ser parcial demais.

Foi talvez o último filme que vi, antes de começar a cumprir este princípio de não dar dinheiro, nem atenção a facciosos.

Se querem fazer um romance, façam-no. Não venham é fazer filmes de histórias reais, á minha maneira.

Entendes Gonçalo? ;)

freitaspereira disse...

Eu não tenho o prazer de conhecer o Senhor Luís Melo, mas parece-me que esquece que a verdade vale bem a pena que se passe alguns anos sem a encontrar e que, como dizia Antoine de Saint-Exupéry, : "A verdade de amanha alimenta-se do erro de ontem ".

Tânia Morais disse...

Vi o filme de Stone e desiludi-me bastante! Não é um drama pessoal, nem uma comédia, nem um estudo de ciência política, nem coisa nenhuma. E não me parece que seja um apoio (declarado) a Obama. Confesso-te Gonçalo, que até senti alguma ternura pelo W. entre bocejos e numa das centenas de vezes que tive de mudar de posição na cadeira... Não há tese (vontade de vencer perante as adversidades, petróleo... nada!)Talvez daqui a alguns anos este filme faça mais sentido, mas hoje pareceu-me uma tremenda perda de tempo! - Valeu-me a boa companhia, no entanto =) -