quinta-feira, 1 de maio de 2008

Passos Seguros


É em momentos como este que acredito que avançar apoiado nos valores, crenças e projectos políticos nos leva longe, tão mais longe que aos caciques do costume. Aqui não há estratégia de futuro, procurar influências ou lugares. Não há o regresso daqueles que nunca foram ou não sabem ocupar o seu lugar na história. Não há moralismos, nem espingardas (não há vitória). Aqui há projecto político assumido sem medo.

Apoiemos ou não o PPC, há que lhe reconhecer o mérito e a segurança que tem demonstrado nesta "pré-campanha" eleitoral.

P.S. Não estou a fazer campanha, mas sim a partilhar um belo sorriso convosco.

3 comentários:

Filipe disse...

Em Portugal, há como que uma certa "obrigação" de que o líder de um partido seja o candidato a primeiro ministro. Neste momento difícil da vida do PSD, alterar essa "regra", seria uma boa forma de diferenciação do partido para melhor, relativamente ao PS.
Nesta alteração estratégica (de estrutura) do partido, o PPC poderia ser um bom "gestor" dos dstinos do partido. Para defrontar Sócrates, talvez não seja AINDA a solução ideal.
Cumprimentos.
Filipe Ruivo

Dulce Alves disse...

É curioso e surpreendente que uma candidatura que a priori teria o modesto objectivo de marcar posição, se converta a cada dia que passa numa candidatura de perfil ganhador...
Que se cuidem os demais...

Gonçalo Capitão disse...

I'm in ;)