terça-feira, 12 de fevereiro de 2008

Afinal, CORRUPÇÃO não é só um filme!

Pois é! Para quem andava esquecido, corrupção não é só um filme, é bem real! Corrupção foi, de resto, a palavra mais ouvida no debate de ontem da RTP1. De repente todos se lembraram, e BEM, que a corrupção em Portugal é um cancro que se vai alastrando livremente, sem leis eficazes que o impeçam. Lembraram-se também, e mais uma vez MUITO BEM, que não é só a corrupção que arrasta o nosso país para os caminhos da perdição. Há algo que está na base de tudo e que nem as leis podem tentar mudar: a MENTALIDADE do povo português. Pois bem, estes são os verdadeiros entraves que a meu ver impedem que Portugal “pule e avance como bola colorida nas mãos de uma criança”. Poética e idealista me confesso, mas acima de tudo sou uma pessoa de fé, porque apesar do cenário negro com que nos deparamos todos os dias, eu acredito na luz ao fundo do túnel.
Quanto ao cancro, há que tentar a quimioterapia que, como diziam ontem no “Prós & Contras”, passa não só pela AR e pelo Governo, mas também por todos nós. Se não nos mexermos, se não sairmos do colchão, não vamos a lado nenhum (até o Cristiano já percebeu isto). “Temos de ser nós a fazer ouvir a nossa voz”, cantavam os Onda Choc ou Mini Stars (já não sei) no século passado. A mudança tem de passar por todos nós, começando logo por mudar mentalidades. É difícil, mas não é impossível, não custa tentar. Se até o Gervásio aprendeu a reciclar, de quanto tempo mais é que os portugueses precisam para alargarem horizontes e pensarem diferente? Bom, já chega de trocadilhos e piadolas (até porque normalmente ninguém acha piada). Fica o meu desabafo e a minha esperança que mais pessoas partilhem de ideais semelhantes aos meus e não desistam de remar contra a maré. Como diz o meu amigo Marco, eu não vou mudar o mundo, mas se conseguir mudar a minha rua já valeu a pena.

3 comentários:

freitaspereira disse...

Cara D.Rosa Moretto

Deste « Lodo » saem temas audaciosos, sem duvida! A corrupção ! Ai a corrupção !
A definição que eu encontrei no dicionário é já em si nauseabunda ! : decomposição, podridão, perversão, comprar, subornar e ....seduzir! Esta ultima definição choca-me , porque a vejo mais ...romântica!
A historia da China mostra-nos que a maioria das dinastias, ou quase todas, só foram derrubadas quando o Estado tinha sido enfraquecido pela corrupção dos seus ministros, conselheiros e gente oficial do Estado.
O Governo actual utiliza a experiência do passado para considerar que para lá de um certo nível , a corrupção traduz-se em termos de traição e é passível da pena de morte, como os crimes do mesmo género em tempos de guerra.
Já nos países ex-soviéticos, a corrupção dos dirigentes é aceite como normal ou quase como um mal necessário. Embora, parece, o Putin comece a tomar algumas decisões para melhorar a situação.
Não sei se conhece a historia de um pais da Ásia Central, onde passei há uns meses atrás, no qual um jovem estudante em economia , esperto, de apenas vinte anos, desculpava a corrupção da classe dirigente do seu pais da maneira seguinte ( ele tinha vivido uns anos nos EUA e na Europa e era ele mesmo sem duvida procedente da classe dirigente) :

“ O nosso país é pobre, tudo pertence ao Estado e ainda não há riqueza privada. Os nossos dirigentes assumem pesadas responsabilidades, mas são mal pagos. Portanto, é normal que eles se enriqueçam mesmo se certos meios podem ser qualificados de corrompidos. Esta é a única maneira que permite à elite afortunada de se criar actualmente. A corrupção é só temporária porque nos, os jovens de hoje, vamos ganhar dinheiro no comércio e na industria e não teremos necessidade de recorrer à corrupção quando chegarmos à cabeça do país. Aliás a corrupção não empobrece o pais. Trata-se somente de uma redistribuiçao interna e o dinheiro fica cá”;

A corrupção ? Um defeito corrente dos homens : pensar que com um pouco de dinheiro mal adquirido eles obterão sempre o que eles quiserem !

Dulce Alves disse...

Que bom ver-te de regresso às lides bloguísticas, Romi! ;)

E que bom constatar que, ao contrário de uma grande maioria, estás bem desperta para o que se passa à tua/à nossa volta.

O mal de todos nós é o de acharmos que sozinhos não podemos mudar nada, não podemos fazer a diferença. Bem sei que soa a cliché, mas a verdade é que muitas das vezes "está tudo nas nossas mãos".

PS - Obrigada pelo "regresso ao passado!" que o teu texto me proporcionou com a Pedra Filosofal de António Gedeão,(outrora cantada por Manuel Freire) e também pela referência aos Mini-Stars / Onda Choc ;)))

Gonçalo Capitão disse...

"Como diz o meu amigo Marco, eu não vou mudar o mundo, mas se conseguir mudar a minha rua já valeu a pena"; esta é a ideia do "Lodo", Romi!... :)

Quanto à corrupção, ainda este sábado, o "Sol" tinha em primeira página um deputado do PSD acusado disso e de outras coisas... O nosso sistema de partidos está podre e temos todos de nos tornar mais exigentes, em vez de encolhermos os ombros.