segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

Telejustiça à mão de semear


O caso Esmeralda foi provavelmente o caso de justiça que mais comoveu o país no ano de 2007, quer pela sua peculiaridade, quer pelo seu desfecho.
Embora mediatizado até ao tutano, há ainda quem se aproveite deste enredo verídico para lucrar.
Reporto-me à TVI, que exibiu ontem em horário nobre – agora que parecem ter-se esgotado (aleluia!) os formatos de reality show - “O caso Mariana”. Sob a epígrafe, “Casos da vida ”, a TVI ficcionou a história da menina adoptada, que de ficção pouco teve, já que a similitude com o caso Esmeralda foi até aos pequenos pormenores.
Já não bastava os portugueses estarem (mal) habituados a debater a Justiça na praça pública como quem negoceia um saco de batatas, vem a TVI dar uma “ajudinha” ao espectáculo...
Se o objectivo - a par dos lucros, pois claro... - é mostrar interesse na causa social, deveriam apostar numa grelha de qualidade que contribua para a formação das novas gerações, ao invés de servir a miséria alheia à hora de jantar.

3 comentários:

João Pedro Cruz disse...

Junto-me à tua indignação…
Parabéns pelo post!!!

Gonçalo Capitão disse...

A TVI é useira e vezeira no jornalismo sensacionalista e, por vezes, reles.

Eu próprio senti na pele o apetite exagerado por audiências, antes de um Congresso da JSD.

E quem não se lembra de Bandarra em "Quero Justiça" e de Kleber em "Fiel ou Infiel?"???

Dulce Alves disse...

João Pedro,
se bastasse a nossa indignação... Gente sensata neste país é uma minoria. A maioria tem o mórbido gosto de digerir a miséria dos outros à hora de jantar. E os shares e audiências da TVI comprovam isso mesmo.

Gonçalo,

bem lembrado, o programa "Quero Justiça"; Um claro exemplo da necessidade que os media parecem ter em fazer da Justiça um show e em incarnar o papel de autoridade e julgar tudo e todos.