quarta-feira, 10 de outubro de 2007

Profecias para Torres Vedras

Muito se tem especulado sobre o próximo congresso do PSD, o que é perfeitamente natural, diga-se.

Entendo, porém, que não será daqui que virão novidades de monta e digo-o por motivos variados, nos quais arrisco a minha nula propensão para vidente.

Em primeiro lugar, entendo que, como é de esperar, alguns integrantes da longa marcha menezistas tenham algumas contas a ajustar e queiram por isso “mostrar as penas”. Não falo tanto da armada do Norte que acompanha o novo líder há bastante tempo e para quem a vitória foi o culminar de um processo natural. É precisamente a Sul, por parte daqueles que vinham passando maus bocados com o consulado mendista, que pode haver algum excesso pós-revolucionário.
Se bem que, neste caso há um factor de ponderação: saber se há “negociações” bem encaminhadas para que o antigo premier assuma a liderança parlamentar.
Aqui chegados, meia dúzia de palavras sobre esta hipótese: se eu fosse parlamentar e apoiasse Santana Lopes tudo faria para que assim fosse; seria o renascimento, bem mais cedo do que, provavelmente, o próprio previa (teria compensado “andar por aí”…), para além de que os duelos com o engº Sócrates passariam a ser uma delícia irrenunciável – bem longe dos açoites que o Primeiro-Ministro gostava de dar ao dr. Marques Mendes.

Todavia e por muita auto-confiança que possua, se eu fosse o dr. Luís Filipe Menezes não sei bem se acharia conveniente ter num plateau onde não estaria (Menezes não é deputado) um ex-Primeiro Ministro, Ex-Presidente de duas câmaras, ex-Secretário de Estado, etc, etc, etc…
Ainda para mais tratando-se de uma personalidade carismática e que vive em união de facto com a notoriedade, sem que tenha de fazer algum esforço para isso. Dito de outro modo, será errado se a ponderação do dr. Menezes for ditada ou pelo medo da projecção do dr. Santana ou, ao invés, pelo excesso de confiança, entendo que não virá daí qualquer sombra.

É uma decisão interessante e difícil, cuja margem fica ainda por determinar; que é como quem diz que, podem ser as evidências do xadrez do grupo parlamentar a ditá-la.
Será curioso, também aqui, ver o que diz o próximo fim-de-semana laranja.

Em terceiro lugar, entendo que o Congresso poderá valer a pena para lermos os realinhamentos dos chamados “barões” e do grupo dito de barrosistas que, embora envergonhadamente, apoiou Marques Mendes.

Finalmente, facto a que Menezes e os seus são alheios, será divinal ver centenas de menezistas tipo “Royal” (ou seja, instantâneos) ou de pedidos encapotados de desculpa por não terem visto a “luz” mais cedo, uma vez que em 2009 há listas para todos os gostos…

3 comentários:

Dulce Alves disse...

Gonçalo,
o mais 'seguro' neste momento (a escassas horas de ter início a reunião magna do PSD)é relembrar a famosa frase do "prognósticos só no final"... ;)
Não subestimando os teus dotes de visionário, parece-me que o que será este XXX Congresso é, por ora, uma verdadeira incógnita..!
Que reacção à nova liderança, que hostes se perfilarão, que notáveis marcarão presença...?
Muitas são as dúvidas, poucas as previsões seguras!

Ainda assim, eu cá, tenho um feeling de que será um conclave histórico. Um congresso que poderá, queiram os sociais democratas, ressuscitar o partido e provar aos demais que não nos falta nem convicção,nem ambição. E que há muito mais num grande partido para lá das questiúnculas internas... (btw, quem as não tem?!)

António JL Simões disse...

Gonçalo, alguma coisa se passou embora não tanto como previamos nem tão pouco que não fosse o congresso útil.
De realce:
- o regresso de PSL (previsto);
- boa forma do partido (agradável);
- bons discursos do líder, embora longos (denoto empenho);
- benefício da dúvida ao novo líder (gostei);
- Manuela Ferreira Leite (pairará sobre o futuro próximo do PSD);
- PPCoelho ( ainda é cedo);
- e porque estamos em sede própria, a Ti meu caro, que não estiveste mal, os meus parabéns pelo desempenho e eleição. É tempo de constituires exército, Coimbra já tem Capitão, esperamos batalhas num futuro próximo! Saudações, António JL Simões.

Jorge Nuno disse...

o Congresso foi fraco... mais fraco só mesmoa lista à CPN... Gostei de LFM a justificar a lista a afirmar que é muito boa porque tem pessoas do Governo de Cavaco, Durão e Santana... afinal o que ele quer são os nomes de ex-governantes; os Barões...
Coerencia!!!!

e gostei a imagem de renovação com o 1º Vice a ser do tempo de Sá Carneiro...

Alias gostei que a lista tem Cavaquistas, Barrosistas, Santanistas, Mendistas... SÓ FALTA TER ALGUM MENEZISTA!!!
Deve estar muita gente arrependida com o apoio...