segunda-feira, 27 de agosto de 2007

Rússia - que liberdade de expressão?

Quase um ano após a morte de Anna Politkovskaia - e quando todos já tinham deixado de acreditar na justiça - eis que surge a notícia da detenção de dez suspeitos pelo homicídio da jornalista russa.
Politkovskaia foi morta em Moscovo, a 25 de Outubro 2006 e tudo leva a crer que o seu assassínio está relacionado com o seu trabalho enquanto jornalista. Conhecida pelos seus escritos e investigações sobre a Tchetchenia e a defesa dos direitos humanos no seu país, tornou-se ao longo dos tempos a jornalista mais crítica com a política de Putin. "Atreveu-se" demasiadas vezes a investigar temas incómodos como o abuso de poder e outros crimes políticos cometidos na Rússia, facto que a converteu em persona non grata.
Daí a suspeita de que o seu trabalho de denúncia a condenou à morte.
A provar-se que o seu intenso e premiado trabalho foi o motivo do seu assassinato, estamos perante um gravíssimo golpe à imprensa livre e independente, e consequentemente, um golpe à democracia.
Se assim for, o que se passa na Rússia é um grave problema que deve ser preocupação de todos, particularmente dos Estados e organizações internacionais. Trata-se de uma grave violação dos direitos humanos, de um incrível retrocesso da liberdade de expressão que os demais países não se podem dar ao luxo de ignorar. Até porque, coincidência ou não, desde que Putin passeia pelo Kremlin, já foram assassinados doze jornalistas russos...

1 comentário:

Francisca Correia disse...

parabéns pelo blog!